quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Meu primeiro Texto

Boa tarde...
Hoje pensei em postar o primeiro texto que fiz após Arthur ter falecido. Ele foi escrito para um site do qual eu faço parte e acompanhávamos o desenvolvimento dos nossos bebês.
O texto é um pouco longo, mas foi o meu desabafo:
"Faço parte deste grupo desde que descobri que estava grávida, em novembro de 2012, e de lá pra cá acompanhei junto com vocês a evolução da gravidez e curti cada segundo dela. A minha DPP era para o dia 2 de junho, mas meu Arthur não quis vir naquele domingo. Como a minha ideia inicial era o parto natural, fazia o acompanhamento diário da dilatação e batidas do coração dele para que nada saísse do controle. No dia 06 de junho fui ao hospital para realizar uma ecografia de acompanhamento, para minha surpresa o índice de líquido amniótico estava em 2,4cm - valor muito abaixo do esperado, o que fez com que a médica me encaminhasse urgentemente para um parto cesáreo que aconteceu naquele mesmo dia. O Arthur nasceu às 20:50h com 2.970 Kg e 47 cm; a nota Apgar dele foi 9/9 (ótima) e ele mamou na primeira hora de vida. Três dias depois recebemos a alta médica e fomos para casa. No quarto dia de vida ele tomou a bcg e no sexto dia foi consultado pela pediatra - ele estava ótimo. De lá pra cá ele engordou quase 1,5Kg e cresceu bastante. Mas na última quinta-feira (dia 27/06) após a sua mamada das 5 da manhã, eu notei que ele gemia um pouco e peguei-o no colo para acalentá-lo. Enquanto estava no meu colo notei que seu corpinho estava esquentando e peguei o termômetro para medir a temperatura que estava a 38ºC. Imediatamente o levamos à UPA e o pediatra receitou paracetamol e banho para baixar a febre para examiná-lo. Quando voltei do banho com ele já havia outro pediatra que pediu um exame de sangue e mandou-nos para casa até que o resultado saísse. Mas antes do tempo pedido pelo médico (4 horas) nós voltamos, pois a febre havia voltado também. Enquanto eu esperava para ser atendida a febre dele cedeu e ao examiná-lo e olhar o resultado do exame o médico me disse que não havia nada para me preocupar, pois não passavam de cólicas e me mandou para casa com ele. O Arthur passou o dia gemendo e nós fizemos tudo que as pessoas falavam para fazer para amenizar a cólica. Quando foi a noite depois da mamada, ele vomitou o leite e começou a ficar roxinho. Voltamos correndo para a UPA (pois era o lugar mais perto) e ele foi internado. Colocaram oxigênio e começaram a tirar sangue para uma série de exames, fizemos raio X também. Às 3:30h da manhã ele foi transferido para o hospital e foi direto para a UTI, ele tinha dificuldades para respirar e foi sedado para fazer novo exames, inclusive o da meningite. Às 6:30h da manhã quando a sedação estava passando eu pude chamá-lo e ver pela última vez aqueles olhinhos lindos me olhando, pois a enfermeira pediu que eu fosse tomar café. Quando eu estava saindo liguei para minha mãe e pedi que orasse por ele e voltei para vê-lo. Assim que voltei não pude mais entrar por que ele tinha tido a primeira parada cardíaca e estavam tentando reanimá-lo. Liguei para o meu marido e falei que nosso bebê estava mal e ele me disse que todos já estavam chegando ao hospital. Meu marido, meu pai e minha mãe subiram para a uti e ele já estava entubado, respirando por aparelhos e tomando sangue. Às 10:08h da manhã de sexta-feira meu lindo Arthur foi dado como morto por causa de uma sepse grave, choque séptico e hemorragia pulmonar. Passei com ele os 22 dias mais felizes da minha vida, meu coração está dilacerado, mas tenho certeza ABSOLUTA que ele está no Céu com o Pai Celestial e que eu e minha família, por ele também, reconstruiremos nossas vidas com a bela lembrança que ele nos deixou... Obrigada por lerem minhas palavras..."


2 comentários:

  1. Amiga, eu sempre me emociono nesse blog! É incrível ver como você está se superando a cada dia! Falar de algo que machuca tanto, é um sinal claro de força!
    Um beijo no seu coração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada... As suas palavras me ajudam...

      Excluir